24 fevereiro 2015

O 1º Álbum: Raimundos - Raimundos


 1987 foi um ano muito louco em Brasilia: O Congresso Nacional tomou posse do país, após o fim do regime militar, com o objetivo de elaborar uma nova constituição federal, a Legião Urbana lançou a música "Que País é esse?" e além disso foi o ano em que um cara se juntou com seu vizinho pra formar uma banda e tocar Ramones ... Bom, parece irrelevante mas eu posso que te provar que não.

 Quando o Rodolfo, que tocava guitarra e seu vizinho baterista Rodrigo Campos, o Digão, decidiram tocar uns punks de 3 acordes e chamar o Henrique Canisso pra tocar baixo, eles provavelmente não tinham noção de tudo que estava por vir, acabavam de surgir os RAIMUNDOS. Eles tocavam mais por diversão, em lugares pequenos ou festas de amigos mas rápido foram ficando conhecidos pelo pessoal da cena local. O que chamava atenção eram as influências de música nordestina no som dos caras, por meio do Rodolfo, filho de nordestinos e fã de forró, principalmente de suas letras irreverentes. Eles tocavam umas músicas do Zenilton, uma ou outra de autoria própria e o resto era na base do Ramones mesmo. O primeiro show deles foi numa festa de Reveillon 87-88, na casa de Gabriel Tomáz que tocava na banda Little Quail and The Mad Birds e atualmente é líder da Autoramas. Enfim, tudo ia bem durante 2 anos até que o Digão começa a ter problemas auditivos em decorrência do som da bateria e precisa se afastar do instrumento, Canisso então vai cursar direito e Rodolfo vai tocar em outras bandas da cena.

 Tudo parecia acabado, quando em 1992, Digão tem a oportunidade de fazer um show em bar em Goiânia e decide então reunir os Raimundos. Ele havia largado a bateria e assumido as guitarras, liberando Rodolfo pra se dedicar apenas ao vocal, Canisso também aceita retornar, mas aí surgia um problema, eles precisavam de um baterista. Decidiram então chamar o Fred, antigo fã da banda. Surgia então a formação clássica da banda.


 Daí pra frente começaria a doideira na vida dos quatro caras. Gravaram uma fita, em 93, com quatro músicas: Sanidade, Palhas do Coqueiro, Marujo e Nega Jurema e então começaram a ganhar cada vez mais nome, a essa altura já abrir shows pra bandas mais conhecidas, fizeram alguns shows com Ratos de Porão, apareceram na MTV, tocaram em alguns festivais e foram convidados pra acompanhar os Titãs durante uma turnê inteira. Era durante uma fase mais pesada dos Titãs, quando lançaram o álbum Tudo ao Mesmo Tempo Agora e o Titanomaquia e aí os caras gostaram tanto do som dos Raimundos que os convidaram a gravar um disco pelo seu selo "Banguela". Nascia então o primeiro álbum da banda, o self-title Raimundos

 O disco foi gravado no início de 1994, produzido pelo renomado Carlos Miranda (ele mesmo, o gordinho barbudo que foi jurado do ídolos) no estúdio Be Bop em São Paulo. São 14 faixas e 2 faixa bônus, incluindo 3 músicas já gravadas na antiga demo de fora (Só "Sanidade" ficou de fora.), São elas:

 Pra ouvir o disco na integra, só apertar o play:



 Com um som bastante pesado, que ficou conhecido como ForroCore: a mistura improvável do hardcore com forró misturado com alguns elementos de Metal também. É um álbum pra acabar com qualquer pre-conceito musical. Até esse momento, ninguém tinha percebido como Zenilton e os Ramones se davam tão bem juntos. Talvez por esses fatores, o álbum tenha se tornado o clássico que é.


 O curioso é que os próprios integrantes do Titãs participaram das gravações do álbum, além de assinarem como produção artística, Branco Mello, Paulo Miklos e Sérgio Britto gravaram backvocal em 3 faixas (Carro Forte, Bé a Bá e Bicharada), Nando Reis gravou o violão de "Puteiro em João Pessoa" e a viola de "Selim". Além deles o disco conta a participação de João Gordo, do Ratos de Porão, na música MM's e o próprio Zenilton tocando acordeão em "Rio das Pedras" e "Marujo".

 As faixas "Deixei de Fumar/Cana Caiana" e "Cajueiro/Rio das Pedras" são covers do Zenilton. Carro Forte é uma paródia de uma canção de domínio público, o resto das faixas são de autoria dos próprios Raimundos.

 As três músicas que mais ficaram marcadas nesse disco são: Nega Jurema, que foi o primeiro clipe da banda, Puteiro em João Pessoa e a balada mais suja da música nacional: Selim, que surgiu em uma brincadeira do Rodolfo, é putaria do começo ao fim, o próprio nem queria lança-la, mas surpreendentemente foi justamente essa música que proporcionou a banda um reconhecimento a nível nacional, ficando em 1º lugar nas maiores rádios da época.


 O sucesso foi tão grande que eles conquistram um Disco de Ouro (1.000.000 vendidos), fato que nem os mais otimistas esperavam, visto que se trata de um disco de rock pesado, cheio de palavrões, que fala de sexo e drogas abertamente. Lembrando que estamos falando de 1994. Enfim, depois disso eles assinaram contrato com a gravadora WEA.

 Mais que o primeiro álbum da banda, ele marcou o começo de uma geração no rock nacional, de bandas como Charlie Brown Jr, O Rappa, Planet Hemp, além disso influenciou diversas bandas que surgiriam mais tarde.  Ano passado o álbum completou 20 anos (!!!), mesma idade desse que vos fala, e continua presente tanto entre os fãs mais velhos quanto entre os fãs mais novos que a banda foi agregando durante todo esse tempo de estrada, apesar de todos altos e baixos, saídas e entradas de novos integrantes. Tanto é que a maioria dessas músicas continuam presente nos setlists dos shows dos caras.

 Raimundos Self-Title foi o primeiro passo daquela que veio a se tornar uma das maiores e mais clássicas bandas de Rock da história Brasil. Merece ser ouvido sempre.

 Pra finalizar, um vídeo da nova formação da banda tocando um clássico do primeiro álbum: Bê a Bá, em seu novo dvd Cantigas de Garagem.


Raimundos é Foda.

Salve

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.
Nossa Invasão © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.