27 maio 2015

Lançamento: O Pior Cenário Possível - Matanza


 No final do mês passado, o Matanza divulgou novo álbum: O Pior Cenário Possível, com seu bom e velho hardcore fedido que estamos acostumados.

Atual Formação do Matanza. (2015)
O Matanza é uma daquelas bandas tão atuais que nem percebemos a quanto tempo os caras estão tocando por aí. São sete álbuns lançados e ano que vem a banda completa 20 anos! Além disso, esse é o primeiro disco do Matanza a contar com a presença de dois guitarristas: Donida e Maurício Nogueira. O primeiro, fundador da banda, se afastou dos palcos desde 2008 porém sempre acompanha a banda no estúdio e o outro, na banda desde 2008, vinha tocando apenas nos shows.  Além disso, essa é a última participação de China. O baixista anunciou sua saída da banda logo após o lançamento. Em seu lugar, Dony Escobar, que também toca nos Vulcânicos, assumirá as quatro cordas. Além deles, a banda conta com a inconfundível voz de Jimmy London e Jonas na bateria.

Matanza no São Rock em Brasília (2013) - Foto por Rodrigo Eira

 Mantendo as influências de música country e bluegrass ao seu hardcore, a banda mostra uma sonoridade ainda mais pesada que nos discos anteriores, com duas guitarras e letras um pouco mais sombrias e um pouco mais sérias. 
 O álbum foi gravado no estúdio Tambor (Rio de Janeiro) e produzido por Rafael Ramos, que esse ano produziu Sete Vidas, da Pitty e Nu, do Forfun. Todos lançados pela Deckdisc. Pior Cenário Possível tem 10 músicas; "A Sua Assinatura", "O Pessimista " e "O Que Está Feito, Está Feito" já caíram no gosto de vários fãs. Particularmente, a faixa que eu mais gostei é a última; "Conversa de Assassino Serial", que fecha o álbum com um inesperado trompete.
  • Confira a baixo a lista de faixas e assista os vídeos de estúdio que a banda gravou para cada música, clicando em seu nome:
  1. A Sua Assinatura
  2. O Que Está Feito, Está Feito
  3. Matadouro 18
  4. Casa em Frente ao Cemitério
  5. Sob a Mira
  6. Pior Cenário Possível
  7. O Pessimista
  8. Chance pro Azar 
  9. Orgulho e Cinismo
  10. Conversa de Assassino Serial
 Além do Youtube, o disco já se encontra disponível para streaming no Spotify, para venda em formato digital na iTunes Store e em formato físico (CD e Vinil) na loja de disco mais próxima da sua casa. ;)

"Reconheço na voz a mentira/ Me admira a frieza do olhar/ O sorriso que indica o traíra/ Tanto inspira quem quer te matar/ O discurso é de fato asqueroso/ O conceito é arcaico e sombrio/  Com um pretexto confuso, ardiloso/ Que defende o que nunca existiu." 
- O Pessimista

20 maio 2015

Imperator Novo Rock: 11ª edição + SORTEIO

 Em 2012, o Imperator, hoje com o nome oficial Centro Cultural João Nogueira, trouxe de volta ao Méier, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro, um pouco mais de cultura através de teatro, cinema e muita música. Dois anos depois da sua reinauguração, a casa de show se tornou um ponto de encontro de fãs e músicos que fazem parte da famosa cena (#acenavive) com o Imperator Novo Rock. Em cada edição participam duas bandas, um DJ e um VJ e ocorre sempre na última quinta-feira do mês. 
 No mês de maio acontece a décima primeira edição do Imperator Novo Rock, dessa vez com a DJ Priscila Dau, o VJ Luciano Cian e as bandas Montanha Russa e The Outs! Para a alegria de todos o Nossa Invasão sorteará um par de ingressos par ao dia 28/05 para que você possa invadir o Imperator Novo Rock com a gente! 
___________________________________________________

  Montanha Russa
 Nesse mix de estilos a banda Montanha Russa tem 8 anos de história e já dois singles tocados na rádio. Cinco anos atrás a banda foi presenteada com a música "Vizinha" por Roberto Frejat e George Israel, dois músicos muito importantes para o rock nacional. Um ano depois, "Largado", o vocalista até então, deixa a banda passando seu papel para Arthur, o "Ruivo".
  Em maio de 2015 a banda traz seu novo trabalho, "Incendeia", com seu novo single "Festa na Praia", deixando clara a nova fase da banda formada por Arthur Bellizi “Ruivo” (Voz e Guitarra), Junior Macedo (Guitarra e Vocal), Thiago Frazão (Baixo e Vocal) e Thiago Hideki (Bateria). 


The Outs
  Com apenas três anos de carreira, a banda The Outs já conta no currículo com um elogio do amargo Noel Gallagher, o segundo lugar no reality show Breakout Brasil, promovido pela Sony, entre muitas outras conquistas como o reconhecimento em diversos cantos do planeta com o recente EP "Spiral Dreams". 
 Formada por Tiago Carneiro (vocal, baixo), Dennis Guedes (guitarra, baixo, backvocal), Vinícius Massolar (guitarra, teclados, baixo, backvocals) e Gabriel Politzer (bateria e percussão), doze dias depois de abrir o show da banda Temples em São Paulo, The Outs invade o Imperator Novo Rock!

___________________________________________________

 No dia 28, serão entregues vouchers na entrada do teatro a todos que estiverem com ingressos em mãos. No voucher, a pessoa deverá escrever o nome de uma banda do RJ e a mais votada tocará no aniversário de 1 ano do Imperator Novo Rock que acontecerá em julho  

___________________________________________________

Serviço

IMPERATOR NOVO ROCK APRESENTA THE OUTS E MONTANHA RUSSA
DATA: 28/05 – Quinta-feira 
LOCAL: IMPERATOR – CENTRO CULTURAL JOÃO NOGUEIRA
ENDEREÇO: Rua Dias da Cruz, 170 - Méier
HORÁRIO: 20h 
INGRESSOS: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia)* 
*Meia-entrada válida também com 1kg de alimento
CLASSIFICAÇÃO: 16 anos

INFORMAÇÕES: 2597-3897 (das 9h às 12h/13h às 18h)


PONTOS DE VENDA:
• BILHETERIA IMPERATOR - CENTRO CULTURAL JOÃO NOGUEIRA

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DA BILHETERIA: Terças e quartas, das 13h às 20h; quintas e sextas, das 13h às 21h30; sábados, das 10h às 21h30; e domingos, das 10h às 19h30.
FORMA DE PAGAMENTO PARA O SHOW (INGRESSO.COM e BILHETERIA DO IMPERATOR): Dinheiro e cartões Dinners, Master (débito e crédito), Visa (débito e crédito) e Vale Cultura.


18 maio 2015

Nossa Trilha Sonora: Maio



 Em 18 de setembro de 2012, eu (Carolina) e o Rodrigo começamos a namorar, e desde então monopolizamos o dia 18 de todos os meses. Em homenagem à esse dia tão especial para nós, traremos algumas músicas que fazem parte da Nossa Trilha Sonora. Músicas que de alguma forma marcaram nosso relacionamento, músicas aleatórias que temos em comum, músicas para enviar para uma pessoa especial, ou não, só músicas.






1) Agridoce - Romeu



2) Queen - Crazy Little Thing Called Love





3) Vivendo do Ócio - Nostalgia


 4) Green Day - Wake Me Up When September Ends 




5) Supercombo - Vê Se Não Morre


13 maio 2015

Discografia: Fito Páez

 Em atividade desde 1981, Rodolfo Páez tem 52 anos e muita história pra contar. O argentino que além de reconhecido internacionalmente pela sua música é também cineasta e escritor, teve sua primeira banda aos 13 anos e seu talento fez com que hoje ele fosse esse artista incrível vencedor de cinco Grammys Latinos. 

 Fito tem 22 discos de estúdio lançados, e são a partir deles que iremos conhecer mais sobre esse incrível músico: 

11 maio 2015

Nossa Invasão está também no Facebook!

Siga-nos e fique por dentro de todas as novidades do blog! 

07 maio 2015

A História do Rock Latino #02: Argentina





 A história do Rock Latino contada, a partir dos países, em uma série de vários posts pelo Nossa Invasão. Se quiser ouvir o som das bandas latinas citadas basta clicar no nome delas.



 Agora falaremos deles, nossos tão amados e odiados hermanos argentinos: Sim, eles também amam o Rock n´Roll, afinal nem só de tango vivem nossos vizinhos!
 Durante os anos 50, houveram os primeiros contatos dos argentinos com o Rock vindo dos Estados Unidos, mas o surgimento da sua própria cena só se dá fato lá pelos anos 60, via Uruguai, que a essa altura já produzia rock em castiliano. O que ficou conhecido como a Invasão Uruguaia. Bandas como Los Mockers e Los Shakers foram fundamentais para o surgimento do Rock argentino. (Para saber mais sobre A história do Rock Uruguaio, confira a primeira parte da série "A História do Rock Latino" - clicando aqui). Através delas, começa a se popularizar  o rock britânico nas terras argentinas, principalmente os Rolling Stones.
 The Seasons, Manal e Los Beatniks são consideradas algumas pioneiras do gênero no país. Caminhando para o fim da década, surge a banda Los Gatos, primeira delas a alcançar grande sucesso a nível nacional. Na mesma época surge o primeiro selo independente, chamado Mandioca, que lançou, entre várias artistas, banda Vox Dei, fundamental para a cena de hard rock e progressivo que surgiu na década seguinte.
Banda Manal
Começam aí a estourar bandas:
 Assim surgem bandas mais psicodélicas como Crucis, Alas, Color Humano e a sensacional Pescado Rabioso. O Rock argentino começa a se diversificar; bandas com o som mais pesado e com referências ao blues, como Pappo, guitarrista e vocalista solo, ex-Los Gatos, muito influente até o hoje no país.
 Simultaneamente, também surge outra vertente, o Rock Acústico, com elementos folk, começa a ganhar a atenção dos jovens do país, enquanto emergia o movimento Hippie. Sui Generis, Vivencia e Arco Iris são bandas de expressão desse movimento. Destaque para Patrício Rey y sus Redonditos de Ricota, uma banda que até o dias de hoje está em atividade e perpassou pelos mais diversos estilos do rock argentino.
  Já em 1976, é instaurada a ditadura militar argentina. Não diferente das experiências no Brasil e Uruguai, foi uma época marcada pela repressão e pela censura, então várias bandas se dissolveram. Apesar disso, foi nesse época que surgiu a banda de enorme sucesso Serú Girán. Já nos anos 80, essa banda chegou inclusive a fazer shows no Brasil.
 O fundo do poço para o Rock argentino foi a Guerra das Malvinas, em 1982, onde milhares de jovens enviados sem preparo algum, acabaram mortos. Por fim, com a derrota na guerra, veio a queda do regime militar. Um marco importantíssimo desse momento foi o Festival de Solidariedade América Latina, onde tocaram os maiores nomes da música argentina. Foi a forma que os artistas encontraram de protestar contra a guerra e se manifestar em defesa da paz.
O jovem Fito Paez
 Nos anos 80, o movimento punk começa a ganhar força no país, através de bandas como Los Violadores, além de bandas mais New Wave, como Soda Stereo e Sumo, muito inspirada no The Police. Com o fim da ditadura, alguns artistas solo começam a se consagrar, entre eles o grande Fito Páez, um dos maiores nomes da música até hoje (e um dos artistas favoritos da Carol). Já a cena do heavy metal, mais underground, tinha como máximo representante a banda V8.
   Em 1987, os Ramones fizeram uma turnê na Argentina. Fato fundamental para o surgimento de algumas bandas nos anos 90, como a Attaque 772 Minutos e consagração do ska-punk de bandas como Los Fabulos Cadillacs.
 Na década de 90, se tornam muito populares Viejas Locas e Caballeros de la Quema. Esses grupos foram exceção, de lá pra cá o rock perdeu muito espaço para a música pop. Se recolheu ao underground. Surgem boas bandas porém sem grande visibilidade para o grande público, porém enorme criatividade e fãs muito dedicados; La Renga, Árbol, Catupecu, Babasónicos e ANIMAL. (que deu origem a banda de metal Carajo) por exemplo.
 Infelizmente, de lá pra cá, não vem surgindo muitas bandas por lá, mas como sempre há alguém fazendo música boa, recomendo o indie rock do Él Mató a un Policía Motorizado e a banda Bicicleta.
 Ficamos por aqui, na próxima postagem, a história do rock no país pioneiro do Rock na América. Sabe qual é? Então fique atento ... 


05 maio 2015

A História do Rock Latino #01: Uruguai


 A história do Rock Latino contada, a partir dos países, em uma série de vários posts pelo Nossa Invasão. Se quiser ouvir o som das bandas latinas citadas basta clicar no nome delas.



 Pra começar vamos falar do Uruguai, nosso pequeno vizinho, pobre de território e rico de cultura e beleza, terra de grandes artistas e pensadores.
 A primeira geração do rock uruguaio surge durante os anos 50, influenciado pela música que surgia no norte, de caras como Elvis Presley, Buddy Holly, Little Richard e Chuck Berry, que através da rádio e do cinema difundiam sua música. Eram comuns os shows desses músicos em Montevidéu, no Teatro El Cine Plaza. Ao final da década, os jovens uruguaios já começavam a montar suas próprias bandas.
Los Shakers
 A ligação dos latinos com o Rock n' Roll se consagrou de fato com a chegada dos Beatles e consequentemente outras bandas da cena inglesa, como Kinks, Rolling Stones, Beach Boys, Animals... Surgiam em solo celeste, bandas como Los Mockers e Shakers com cabelinho asa-delta e todos os iê-iê-iê's possíveis. Era uma boa época, o país ia muito bem, com alto desenvolvimento social e estabilidade política.

 Chegava a década de 70, e com ela vieram tempos difíceis. Se esgotavam os recursos minerais e energéticos, daí veio a desestabilização, o estado de emergência, a suspensão das liberdades civis e por fim, o golpe militar. Apesar das dificuldades, ainda surgiam bandas e o estilo ia aos poucos se difundindo. Sob influência do rock psicodélico e progressivo, surgiam bandas como Psiglo, Opa e Días de Blues, dentro dos movimentos estudantis e anti-ditadura. Muitos deles foram censurados, perseguidos e torturados. É a marca de sangue deixada pelos regimes autoritários na América Latina.
  Em 1985, finalmente é reinstaurada a democracia e assim começa o verdadeiro grande "BOOM" do rock uruguaio. Junto com a liberdade de expressão, inúmeras novas bandas: Guerrilla Urbana, Los Invasores, Los Estómagos, Traidores, Los Tontos; e festivais como Montevidéu Rock. (1986 e 88). O movimento punk vindo de Inglaterra e Estados Unidos já tinha um influencia enorme sobre os jovens da época.
Festival Montevideo Rock
  Durante os anos 90, o rock nacional acabou perdendo espaço no Uruguai, ainda surgiam bandas novas, mas a estrutura para se manter era complicada, já não haviam tantas oportunidades. Uma das bandas que se manteve forte durante esse período foi a Buitres. Outras, apesar um difícil período, tem nos dias de hoje grande reconhecimento, como o El Cuarteto de Nos (Melhor banda uruguaia - na minha opinião e na da Carol), Buenos Muchachos e Trotsky Vengara.
  O rock só volta a aparecer mesmo lá pro final da década de 90, graças a cena de Heavy Metal que surgia. A maior delas, a Reytoro, com integrantes da banda Chopper. Então voltam a surgir diversos festivais e os baixos preços dos cd`s nacionais em comparação aos importados estimulam o mercado da música, principalmente o do Rock.
 Dos 2000's pra cá muita coisa legal surgiu: Motossiera (Punk) e Sordromo (Alternativo), Vale a pena conferir! 
 Para o Uruguaio, o rock é mais que música. É uma instituição, é um pilar fundamental na cultura e história.
El Cuarteto de Nos
 É isso, companeros, ficamos por aqui. Fique atento as próximas publicações para conhecer a história do rock nos outros países da América Latina. 


"Na parede de um botequim de Madri, um cartaz avisa: Proibido cantar. Na parede do aeroporto do Rio de Janeiro, um aviso informa: É proibido brincar com os carrinhos porta-bagagem. Ou seja: Ainda existe gente que canta, ainda existe gente que brinca" (GALEANO, Eduardo - O Livro dos Abraços, 1988)

* Este post é uma homenagem a Eduardo Galeano, escritor uruguaio, falecido em abril/2015.

Tecnologia do Blogger.
Nossa Invasão © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.